• Leandro Matos Lourenço

As vantagens de aprender perguntando

Eu sempre tive vergonha de fazer perguntas.


E não era só na escola, quando criança ou adolescente. Na faculdade o problema se repetia: eu não entendia o que o professor explicava e ficava com a dúvida. Não queria interromper a aula fazendo perguntas que os outros julgariam como idiotas.


O resultado disso você já deve imaginar: não entendia, sentia vergonha e levava todas as dúvidas pra casa. Só lembrava delas na véspera das provas, quando a água já estava batendo na bunda e não tinha mais o que fazer.

Perguntar é a melhor maneira de aprender


Demorei um bom tempo para entender que seria através das perguntas que eu aprenderia mais. Fico pensando que se um dia fosse professor, minha primeira aula seria sobre a importância de perguntar e de como fazer boas perguntas. É preciso falar sobre este tema desde cedo, mostrar para as crianças e adolescentes que eles devem perguntar e que não há nada de errado nisso.


Afinal de contas, se estamos na escola, na faculdade ou num curso livre qualquer, estamos ali para aprender.


A curiosidade de saber é o que motiva o aprendizado. Quem não é curioso ou não fica intrigado com certas situações quase nunca aprende o suficiente. Fica sempre no raso, não se aprofunda nos conhecimentos e consequentemente cresce sabendo menos do que deveria.


E essa estagnação é um perigo. Por isso é importante que os professores falem sobre a importância de perguntar desde cedo. É preciso mostrar que as perguntas feitas durante a aula não atrapalham, pelo contrário. Ajuda inclusive os que já sabem sobre o tema, já que a pergunta vai forçar uma nova explicação e isso vai reforçar a explicação.


Além da curiosidade, a repetição é importantíssima no processo de aprendizado.


Como fazer boas perguntas?


Aprender a perguntar também é importante. Pode ser que eu esteja enganado, mas não me lembro de ter tido alguma aula sobre isso quando frequentava a escola ou a faculdade.


Uma boa pergunta precisa resolver um problema. É muito comum que as pessoas confundam boas perguntas com reflexões. Ou pior: achar que uma boa pergunta é aquela que deixa o sujeito do outro lado sem resposta. Não, não é isso. Como eu disse no começo desse parágrafo: boas peguntas resolvem problemas. E ponto.


As piores perguntas que você pode fazer são aquelas genéricas, sem objetividade. Ficar pedindo dicas para um profissional da sua área, querer saber o que ele faria se tivesse a sua idade ou coisas do tipo. Perguntas vagas, que não resolvem problemas reais geralmente são perguntas ruins.


Como diria o Ícaro de Carvalho: "As boas perguntas são aquelas que expõem uma deficiência ou dificuldade sua, pontual, específica e objetiva e que provoca o destinatário dessa mesma pergunta a resolvê-la - ou te ajudar a resolvê-la."


Entendeu como funciona?


Não seja preguiçoso(a). Se vai ter a oportunidade de questionar alguém que pode te ajudar, estude o tema, veja onde estão suas dificuldades e faça perguntas objetivas e que resolvam problemas. Só assim você vai aprender, de forma rápida e objetiva, sem rodeios.


Agora que você já sabe, só me resta uma pergunta: ficou com alguma dúvida?

Entre em contato
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram